BIOGRAFIAS DE POETAS

 

Ordem Alfabética

A C

 

 

A

 

Antônio Alves da Silva

 

Nasceu em Mata de São João - Bahia, no dia 7 de junho de 1928. Começou a escrever Literatura de Cordel aos 18 anos. Seus primeiros folhetos foram adquiridos por Rodolfo Coelho Cavalcante, poeta alagoano radicado em Salvador-BA. Antonio já morou na capital baiana e no Rio de Janeiro, onde trabalhou ao lado do lendário Mestre Azulão, seu melhor amigo no campo da poesia popular. Há mais de 40 anos reside em Feira de Santana-BA. É casado e tem seis filhos. Escreveu mais de 100 cordéis e já venceu cinco concursos do gênero, sendo três em Salvador, um em Feira de Santana, e o mais recente em São Paulo, no qual ganhou um computador completo. Todos os concursos foram vencidos em 1º lugar. Bibliografia básica: João Terrível e o dragão vermelho, Maria Besta Sabida, João Azarento na corte da rainha Maravilha, As palhaçadas de João Errado, Últimos dias de Antônio Conselheiro na Guerra de Canudos.

 

 

Antônio Américo de Medeiros

 

É natural de São João do Sabugi-RN, onde nasceu a 7 de fevereiro de 1930. cantador profissional, começou a percorrer o Nordeste com sua viola aos 15 anos, em 1945. Criou um programa de violeiros na Rádio Espinharas, de Patos-PB, em 1960, permanecendo 23 anos no ar. Em 1977 escreveu seu primeiro romance História completa da Cruz da Menina, do qual já publicou diversas edições. Mesmo durante a maior crise da Literatura de Cordel, que aconteceu no período de 1988 a 1998, manteve sua banca de folhetos no Mercado Público de Patos, sempre com um estoque acima de 200 títulos, inclusive obras de autores consagrados como Leandro Gomes de Barros, José Pacheco e José Camelo de Melo Resende. Nessa atividade, permanece até os dias de hoje.

Antônio Américo segue a linha dos velhos mestres, escrevendo histórias longas e bem feitas, geralmente de 48 páginas. São de sua autoria os seguintes títulos: A moça que mais sofreu na Paraíba do Norte , A vida de Antônio Silvino, Lampião e a sua história contada em cordel, Os mestres da Literatura de Cordel, O marco do Sabugi, História da Guerra de Juazeiro do Padre Cicero em 1914, A fada do Bosque Negro e a Princesa de Safira, O fracassado ataque de Lampião a Mossoró, A vida de Lampião - intriga, luta e cangaço, História completa da Cruz da Menina. (Por Arievaldo Viana)

 

 

Antônio Francisco Teixeira de Melo

 

Nasceu em Mossoró-RN aos 21 de outubro de 1949. É filho de Francisco Petronilo de Melo e Pêdra Teixeira de Melo. Antes de se dedicar só ao cordel fazia placas de carro e xilogravuras., Fez muitas viagens de bicicleta pelo Nordeste. Cresceu no bairro de Lagoa do Mato, ao qual dedicou um poema antológico em ritmo de galope à beira-mar, onde reside ainda hoje. É Bacharel em História pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Aos 46 anos iniciou sua carreira literária e sua primeira poesia foi “Meu Sonho”. Sua obra abrange dezenas de folhetos de cordel, reunidos em duas antologias: Dez Cordéis num Cordel Só e Por Motivos de Versos. Eleito para a Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), ocupa a cadeira de número 15, do patroneada pelo poeta cearense Patativa do Assaré. Outro poema seu, Os animais têm razão, foi transformado em livro infantil e publicado pela editora IMEPH, de Fortaleza, Ceará.

 

 

Antônio Teodoro dos Santos

 

(O Poeta Garimpeiro), nasceu em Jaguarari, BA, em 24 de março de 1916, e faleceu em 23 de dezembro de 1981, em Senhor do Bonfim, BA, perto da sua cidade natal, Jaguarari, onde estava residindo desde 1979. Antigo garimpeiro (de onde surgiu seu cognome), foi vendedor de folhetos de versos populares, além de poeta. Autor bastante fecundo, sua obra principal foi Vida e tragédia do Presidente Getúlio Vargas (publicado pela Editora Prelúdio), da qual se venderam 280 mil exemplares, e que mereceu uma análise especial do Prof. Raymond Cantel, diretor do Instituto de Estudos Portugueses e Brasileiros da Sorbonne, Paris. Teodoro foi o grande nome dos primórdios do cordel na Prelúdio, tendo sido autor de muitos sucessos lançados pela antecessora da Luzeiro. Bibliografia básica : A grandeza de São Paulo, João Soldado, o valente praça que meteu o diabo num saco, Maria Bonita a mulher cangaço, O encontro de Lampião com Dioguinho, O jogador na igreja, O Neto de José de Souza Leão, Piadas do Bocage, A Sereia do Mar Negro.

 

 

Apolônio Alves dos Santos

 

Nasceu em Serraria, PB, aos 20 de setembro de 1926. Em seus documentos, no entanto, consta como nascido em Guarabira-PB, cidade para onde foi levado e onde foi criado desde a infância por seus pais, Francisco Alves dos Santos e Antonia Maria da Conceição. Começou a escrever folhetos aos vinte anos. Seu primeiro romance foi Maria Cara de Pau e o Príncipe Gregoriano, que, não podendo publicar, vendeu a José Alves Pontes, lá mesmo em Guarabira. A venda se efetuou em 1948, mas o romance só foi impresso no ano seguinte. Em 1950, tentando melhorar de vida, foi para o Rio de Janeiro, onde trabalhou na construção civil como pedreiro ladrilheiro, e, em 1960, foi trabalhar na construção de Brasília, mas sempre escrevendo e vendendo seus folhetos. É dessa época sua obra A construção de Brasília e sua inauguração, que se esgotou pouco tempo depois de publicada.

Em 1961, logo após a inauguração de Brasília, voltou ao Rio de Janeiro. Passou os últimos anos em Guarabira, Paraíba, vindo a falecer em 1998, em Campina Grande. já escreveu cerca de 120 folhetos, sendo os principais O herói João Canguçu, Façanhas de Lampião, O aventureiro do Norte, Epitácio e Marina, O pau de arara valente, O pistoleiro da vila, Olegário e Albertina entre o crime e o amor, O noivo falso engenheiro, A moça que se casou 14 vezes e continuou donzela, A morte de Leandro: saudades.

 

 

Arievaldo Viana Lima

 

Poeta popular, radialista, ilustrador e publicitário, nasceu em Fazenda Ouro Preto, Quixeramobim-CE, aos 18 de setembro de 1967. Desde criança exercita sua verve poética, mas só começou a publicar sistematicamente os seus folhetos em 1999, quando lançou, juntamente com o poeta Pedro Paulo Paulino, uma caixa com 10 títulos chamada Coleção Cancão de Fogo. De 1988 a 1998 fez pequenas tiragens de seus folhetos em xerox, sistema bastante rudimentar, que foi completamente abolido pelo poeta após o lançamento da Coleção Cancão de Fogo. É o criador do Projeto ACORDA CORDEL na Sala de Aula, que utiliza a poesia popular na alfabetização de jovens e adultos, adotado pela Secretaria de Educação, Cultura e Desporto de Canindé-CE. Em 2000, foi eleito membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, na qual ocupa a cadeira de nº 40, patronímica de João Melchíades Ferreira. Lançou pela Editora Luzeiro: O Príncipe Natan e o Cavalo Mandingueiro, Proezas de Broca da Silveira (com Pedro Paulo Paulino), O homem da vaca e o poder do infortúnio.

 

 

Arlene Holanda

 

Nasceu em Limoeiro do Norte, Ceará. Estreou na literatura em 1995 com Abismos, saudades e delícias. Publicou o primeiro livro infantojuvenil em 2006, O fantástico mundo do cordel, que recebeu o selo “Altamente Recomendável” da FNLIJ. A ele seguiram-se outros doze títulos para crianças e jovens, além de cinco para adultos e participações em publicações coletivas. Atua ainda como ilustradora, produtora cultural e arte-educadora, tendo ministrado oficinas de cordel, criação literária, ilustração e outras sobre o valor da cultura, da arte e da literatura na educação.

 

 

Antônio Ribeiro da Conceição

 

Nome artístico Bule Bule, nascido em 22 de outubro de 1947, na Cidade de Antônio Cardoso no Estado da Bahia, musico, escritor, compositor, poeta, cordelista, repentista, Ator e cantador.Ao longo dos seus mais de trinta e oito anos de carreira gravou seis Cd’s (Cantadores da Terra do Sol, Série Grandes Repentistas do Nordeste, A fome e A vontade de Comer, Só Não Deixei de Sambar, Repente Não Tem Fronteiras e Licutixo), quatro livros editados (Bule Bule em Quatro Estações, Gotas de Sentimento, Um Punhado de Cultura popular, Só Não Deixei de Sambar), mais de oitenta cordéis escritos, participação em vários seminários como palestrante, varias peças teatrais e publicitárias agraciadas pelo Prêmio Colunista. Milhares de apresentações durante a sua carreira. Atualmente ocupa o cargo de Gerente de Cultura da Prefeitura Municipal de Camaçarí, diretor da Associação Baiana de Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia e da Ordem Brasileira dos Poetas da Literatura de Cordel. Recentemente foi premiado com o Prêmio Hangar De Música no Rio Grande do Norte junto com Margaret Menezes e Ivete Sangalo. (Fonte: Site do artista)

 

 

C

 

Cícero Vieira da Silva

 

Nasceu em 31 de maio de 1936 em Alagoa Nova, Paraíbae morreu em fevereiro de 2008, em Duque de Caxias (RJ). Começou a escrever em 1952, época em que produziu cerca de trinta romances para a Folhetaria Santos, de propriedade Manoel Camilo, sediada em Campina Grande- PB. Em 1958 ganhou a medalha de ouro como o melhor glosador no Festival de Poetas populares de Salvador-BA, e em 1984 obteve um prêmio no Concurso Leandro Gomes de Barros. Fixou-se, desde os anos de 1950 em Caxias – RJ. Casado, pai de oito filhos, Cícero Vieira, que também era conhecido como Mocó. Escreveu mais de 50 folhetos, alguns dos quais ainda inéditos. Dentre aqueles que publicou, destacam-se: Um Amor Supliciado nas Grades da Detenção; Um Cidadão Generoso Traído pela Consorte; A Sofredora do Bosque ou Uma Noiva Perdida; A Filha de Uma Mendiga na Esquina do Pecado; A Vitória de uma Inocente; Os Sofrimentos de Elisa ou Os Prantos de uma Esposa; Os Martírios do Nortista Viajando para o Sul; A Morte do Presidente Getúlio Vargas, A filha de um pirata, Os olhos de dois amantes por cima da sepultura.

 

 

Caetano Cosme da Silva

 

Nasceu em Nazaré da Mata, PE, no dia 25 de novembro de 1927. Autor muito fecundo, seus temas favoritos são histórias dramáticas, algumas delas continuações de outras obras conhecidas (A filha da louca do jardim, O filho de João de Calais). Compôs também algumas pelejas. É falecido. Viveu na cidade paraibana de Campina Grande, onde mantinha uma banca de raízes e ervas medicinais.Alguns títulos: O assassino da honra ou A louca no jardim, Jerônimo, o grande herói do sertão, Lágrimas de amor ou A vingança de um condenado, Galileu e os castigos do céu, O filho do herói João de Calais.


Carrinho  

Nenhum produto

Frete R$ 0,00
Total R$ 0,00

Carrinho Finalizar